19 comentários:
De André Sousa a 31 de Janeiro de 2017
Há muito que não me ouvem a "comentar"... é um facto (!), hoje e depois de já ter lido alguns "posts" em que se fala da S.I.C., resolvi dar a minha opinião.

Não tenho qualquer tipo de ligação à mesma, acrescento, mas tem sido frequente definir a Sociedade Independente de Comunicação como "sociedade industrial de concentrados"... pergunto... porquê??

Que tal mencionar o nome do(a) jornalista que escreveu a peça em causa??
O objectivo é criticar a forma como o texto foi redigido, certo (?) então mencione que há um jornalista (ou talvez não!) da Sociedade Independente de Comunicação que fez um trabalho diferente do que gosta, ou está habituado... mas por falar em hábito... pergunto... qual o seu canal de eleição (?) que (outras) designações arranjou para as restantes siglas dos canais concorrentes (?) fiquei curioso!

Cumprimentos a todos... que comecem as hostilidades!
André
De Bic Laranja a 1 de Fevereiro de 2017
Ó benévolo leitor! Podia elaborar aqui sobre enlatados de «informação», concentrados de «politicamente correcto», tudo quanto a indústria do «jornalismo» produz e distribui nos canais da «comunicação» pelo insondável da agenda me(R)diatica...
(Já está à venda o concentrado da eutanásia, depois dos do aborto e do casamento aberrante.)
Perda de tempo. Se do que vai escrito e do modo de escrever a mensagem se não percebe e a «opinião» que recebo é uma «interrogação» meia irónica a pedir explicações duma metáfora com o nome do canal (o agravo, sim, foi percebido) e quando há metáforas suficientes no argumento noticiado para estimular os neurónios.
Perda de tempo.

Que acha V. da doutrinação em (de)forma de notícias?
Está doutrinado. Não nota.

Cumpts.

Comentar