4 comentários:
De Mandarinia a 25 de Outubro de 2018 às 15:38
No final dos anos 80 ouvia no bairro da Graça as senhoras orgulhosas a dizerem às vizinhas que os filhos não iam ficar "ali". Já tinham boas casas no Cacém. Hoje isto faz as delícias dos turistas e agora também os portugueses querem voltar. Suponho que o Cacém azedou.
De Bic Laranja a 27 de Outubro de 2018 às 10:50
É verdade! O Cacém teve esse «chic» de modernidade de subúrbio…
Essas «boas casas» diziam-se «andares». Ao depois começaram a dizer-se «apartamentos», mais ou menos a partir do «Dancin' Days» ou isso.
Cumpts.
De Mandarinia a 27 de Outubro de 2018 às 18:44
Exacto, os andares que passaram a apartamentos. A modernidade bacoca que chegava pelo Brasil e que por sua vez derivava (em má tradução) dos americanos. As novelas foram um excelente veículo. As "produções independentes" eram as que queriam ter filhos sem o "fardo" de ter marido (esta expressão também veio de uma novela mas já não me recordo de qual). Segundo ouvi dizer, a Globo já anda a fazer novas versões dessas novelas antigas, pelos vistos a modernidade já se lhes esgotou e agora serve-se requentada.
De José Lima a 28 de Outubro de 2018 às 10:12
Em finais de 2004, princípios de 2005, exerci transitoriamente as minhas funções profissionais no Cacém, em substituição de um colega. Para mim, passou a ser um sítio inolvidável pela negativa, pois não me recordo de haver trabalhado noutro local tão triste quanto feio, ao qual a denominação de "subúrbio", no sentido mais pejorativo dessa palavra, assente tão plenamente.

Comentar