4 comentários:
De [s.n.] a 19 de Maio de 2014
Esta família, Telles da Sylva, tinha (ou ainda tem) uma florista "A Romeira" na Av. de Roma (já aqui deixou uma foto desta florista, que ficava/fica mesmo ao lado do Tutti Mundi, há relativamente pouco tempo, recorda-se?), cujas belíssimas flores provinham da sua magnífica Quinta. O interior do Palácio devia ter sido uma pequena maravilha. Conheci a Quinta, não o Palácio. Mouraria, era? E ainda existe? Nã..., era bom demais. Com o advento da democracia eis que a modernidade nos é imposta à força em todas as áreas e aspectos da sociedade, com prioridade absoluta para o sector urbanístico. Deste modo todos os edifícios, palácios, palacetes, moradias, etc., com valor arquitectónico tinham que desaparecer para darem lugar a mamarrachos de vidro. Como salta à vista em toda a Lisboa e arredores.
Maria
De Bic Laranja a 19 de Maio de 2014
Da Romeira é uma curiosa novidade para mim.
O palacio do Marquez de Alegrete foi demolido em 46. D'elle hão-de ter falado o visconde de Castilho e os outros mestres olisipographos. Hei-de ver o que acho.
Cumpts.
De Afonso Loureiro a 20 de Maio de 2014
O cartaz mais à direita anuncia as festas de Estremoz, que se realizam na primeira semana de Setembro. São as "Grandiosas festas da exaltação de Santa Cruz".

Quanto às datas propostas para a tourada em torno de 1901, temos 5/12/1901, 5/6/1902 e 5/3/1903 (e não 1901). Pela posição do sol, que vai bem alto na fotografia, descarta-se Dezembro de 1901 e as semanas que antecedem Março de 1903. Sobra a corrida de Junho de 1902.

Cumps,
De Bic Laranja a 21 de Maio de 2014
Boa achega! Temos, pois, o anno de 1902 pelo mais certo.
Grato!

Comentar