Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2015

O calvário da linguagem

 Um orante rezando o terço ao fim da tarde pronuncia «crucifixão».
 Bom! Há séculos que sabemos da Crucificação e de crucifixos. «Crucifixão», a não ser um crucifixo muuiiiito grãããande e pesado, há-de ser um novo calvário: o de desaprendermos agora tudo, até não sabermos a mais elementar linguagem.

Retábulo do Crucificado, Igreja de S. Jerónimo Real (S. Francisco), Braga (R. Smith, 1962-64)
Retábulo do Crucificado
, Igreja de S. Jerónimo Real (S. Francisco), Braga, 1962-64.

Robert Smith, in Bibliotheca d' Arte da F.C.G.


Nota: claro que o Priberam cauciona já o estúpido vocábulo; como cabe lá tudo, até sniper, Deus nos valha!

Escrito com Bic Laranja às 12:44
Verbete | comentar
11 comentários:
De Joe Bernard a 28 de Janeiro de 2015
Que saudades da minha juventude quando não havia estas modernices de linguagem...
De Bic Laranja a 29 de Janeiro de 2015
Calhando havia mas eram raras e logo corrigidas por quem sabia. Agora, não há que corrija porque poucos há que hajam aprendido.
O Público em 1994 chegou a escrever «crucifixação». Ha-de ter sido a explicar como se fixava um crucifixo na parede, decerto...
Cumpts.
De [s.n.] a 29 de Janeiro de 2015
Mas o Priberam é exactamente o quê? Peço desculpa pela minha ignorância mas nunca consultei tal objecto virtual. Calculo que seja uma espécie de dicionário internáutico para consulta. Pois se é, pela amostra é de certeza uma invenção brasileira. E digo brasileira porque este povo utiliza imensas palavras norte-americanas adaptadas ao português lá deles. Imensas e de tal ordem que metem dó. Mas paciência, eles são independentes e podem fazer o que lhes apetecer com a sua própria língua. Agora nós não. Connosco o assunto muda de figura. Chega de abastardar a nossa maneira de escrever e de falar. Chega de adulterar a nossa riquíssima língua, que ademais tem tradução para pràticamente todos os vocábulos, expressões exclamativas, substantivos comuns e próprios, adjectivos, advérbios, interjeições, etc., de todas as línguas vivas estrangeiras.

Basta o que basta.
Chega portugueses, aqueles o são de alma e coração. Ajudem a preservar o nosso segundo maior tesouro conjuntamente com a terra que pisamos, dois legados preciosos transmitidos pelos nossos valorosos antepassados à custa de destemor, bravura, heroísmo e muito sangue derramado. Todos não seremos demais. Honremos as suas sagradas memórias também através da língua, sem nunca descurar o exíguo território que nos deixaram conservar após ter sido criminosamente amputado na sua quase total imensidão.
Maria
De [s.n.] a 29 de Janeiro de 2015
Esqueci-me de acrescentar que ouvi por variadíssimas vezes nas televisões, para minha enorme estranheza, os jornalistas dizerem 'Crucifixão', já faz bastante tempo. Não me recordo se em transmissões religiosas (ou referindo-se a estas) mas creio que sim.

Lá está, a mania pestilenta que este regime podre instituiu de obrigar as gerações mais novas a falar à pretoguês (como se designava antigamente quem cometia grandes calinadas no discurso oral, sem ofensa às gentes de raça negra, òbviamente), por influência propositada das gerações mais velhas, estrangeiradas e traidoras, todas muito progressistas e muito modernas, ao introduzirem vocábulos e expressões norte-americanas e ainda para mal dos nossos pecados na sua maioria adulteradas tanto na escrita como na fala (parafraseando o Prof. Higgins, "esses não falam inglês há anos"). E os hipócritas dos pseudo-democratas andam há quarenta anos a proclamar que odeiam de morte os 'américas'..., então não..., seguem a par e passo todas as regras e vícios daquela sociedade doentia e corrupta importando-os para as democracias(deles).

Claro, estes párias da sociedade, porém estrénuos democratas, naturalmente, desempenham o mesmo papel diabólico em todas as democracias onde conseguem pôr as patas. Começam por destruir esses países retalhando-os aos pedacinhos, a seguir dividem os povos utilizando todos os estratagemas sempre com a 'liberdade' na boca, depois ridicularizam as tradições seculares e até milenares, desvalorizam os Heróis o mais que podem e por fim abastardam criminosamente a língua, esta o bem último que os une e distingue de todos os demais sem a qual extinguem-se por já não terem razão d'existir. É para estes fins que em todo o mundo democrático, assim por eles pomposamente classificado, os extremistas vivem e trabalham em regime permanente e de exclusividade.
Maria


Obs.: O menino Pedro Pinto, locutor da TVI, ontem, dia 28, pelas 14.16, proferiu esta pérola digna de aparecer na primeira página do jornal Ridículos, caso este ainda existisse: "(qualquer coisa)... enrAIzado..." transformando duas sílabas numa só e, pior, pronunciando o "ai" como um ditongo bem aberto e descurando a acentuação tónica no "i"!!! Uma mmaravilha. Fiquei de tal modo abismada com o dislate que tive de o anotar imediatamente.


De Bic Laranja a 29 de Janeiro de 2015
O Priberam não é brasileiro. Cuido (não garanto) ser uma sucursal da Porto, mas é sem dúvida hoje em dia o albergue espanhol do léxico. Toda a ganga lexical de bárbaros acha ali pousada pela simples lógica de que se o indígena bolçou, logo usa-se; portanto, acrescente-se ao dicionário.

Ora um critério destes é critério nenhum, que legitima em última media o balir de qualquer borrego, seja ele em que idioma for.

No mais funciona o analfabetismo, a indigência, e falta de noção do que fomos e somos.

Cumpts.
De Rogério Maciel a 29 de Janeiro de 2015
Caro Bic Laranja , já há muito que me sinto muito incomodado com estas "cruci-fi(xa)ções" dos actuais "orantes" desta igreja católica que enveredou tôda pela Agenda Nêgra do Acordismo , algo que me faz têr o pé ainda mais atrás quanto á presente acção do vaticano.
É realmente estúpido e ridículo , o estado de ignorância quanto á Língua de Portugal em que se encontram a maioria dos padres actualmente , óbviamente formatados pela ideologia "teológica" do vaticano que se virou tôda para o Brasilês , uma vez que Portugal não tem nº suficiente de "massas" para prenchêr os requisitos quantitativos que justificam a existência do vaticano como podêr religios nêste mundo dos Dias Finais .
Queria só dizêr isto , uma vez que Amo a Dêus e gosto de rezar o Rosário entre outras Acções Espirituais que fazem parte da minha vida .
Bem Haja e um Abraço !
De Bic Laranja a 29 de Janeiro de 2015
Chego a crer que a folhas tantas devemos ter feito por cá tamanha asneira que nem os Céus se compadecem já de nós. Deus queira que não!
Cumpts.
De Rogério Maciel a 29 de Janeiro de 2015
Acredito que não .Estamos a aproximar-nos rápidamente da Hora deque Fernando Pessôa falava .

«A PROFECIA DO MONGE NAPOLITANO
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações, porque há-de vir sem falência tempo em que a tua luz se apagará; ver-te-ás debaixo dos pés dos outros, que te quebrarão, como se fosses um vaso de barro, (e tirarão) tuas riquezas e tesouros; então serás tributária, gemerás, e de todos que te amavam nenhum te consolará. A tua honra será mudada, a tua gente destruída, as tuas cidades tomadas pelos infiéis. Mas então o Pai das misericórdias te porá os olhos, verá o teu opróbrio, e do meio de ti fará surgir o salvador, que te libertará da escravidão alheia. Depois do que mandar-te-á outro, que se reputava morto, e este, que te havia posto em miséria, te restituirá ao teu antigo esplendor, exaltará o teu Império, e dilatará a fé de Cristo * , destruirá a casa de Mahomet *1; então o seu império será eterno, e todo o Povo dirá: Alegra-te ó Lusitânia porque Deus te fez a primeira das Províncias e Dominadora das Nações.» (nas notas de FErnando Pessôa)
De Bic Laranja a 5 de Fevereiro de 2015
Haja esperança.
Ou poesia.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 29 de Janeiro de 2015
Aqui atrasado disse aqui que não tardaria muito, o nosso vocabulário estaria reduzido a uma vintena de vocábulos; o que nunca me passou pela cabeça é que eles fossem todos barbarismos.
Se D. Afonso Henriques imaginasse o que se iria passar 900 anos depois, se calhar, em 1128 não teria ido a S. Mamede, mas antes ao S. João no Porto; que Deus nos valha!
Cumpts
De Bic Laranja a 29 de Janeiro de 2015
Quando concluírem a crioulização revolucionária em curso o Português assemelhar-se-á ao guincho dos macacos.
Com sotaque.
Cumpts.

Comentar

Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
21
23
25
26
27
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____