Segunda-feira, 19 de Junho de 2023

O Largo de D.ª Estefânia

Obra para colocação do Neptuno na Estefânia, Lisboa (J. Benoliel, 1950)
Obra de colocação da estátua de Neptuno, Estefânia, 15/VIII/1950.
Judah Benoliel, in archivo photographico da da C.M.L. 

 Se a data desta no archivo está certa, o dia de N.ª Sr.ª de Agôsto de 1950 não foi feriado. Assim, lá corriam ao centro do Largo de D.ª Estefânia os trabalhos para a pôr o Neptuno do Chile. O Diario de Lisbôa só deu notícia do caso em 24, mas ilustrou os primeiros trabalhos para a colocação da estátua na Estefânia pouco mais ou menos como os vemos aqui semana e meia antes.
 Quando contei da mudança da estátua do Chile para a Estefânia aventei que até receber a estátua de Neptuno se achava o dito Largo de D.ª Estefânia vazio ao centro, sendo como um mero cruzamento ou entroncamento de ruas e que foi o tanque redondo que acabou por fazer dêle uma rotunda. Na fotografia do recorte de jornal não se percebia, mas nesta agora bem parece que assim devia ser, porquanto os trilhos do eléctrico que desciam do Arco do Cego seguiam em linha recta através do largo vazio, a prosseguir no trôço seguinte da Rua de D.ª Estefânia. 
 Mera curiosidade sem importância, daquelas que nos nunca nem ocorrem, mas que, empreendendo ao depois agora nela, me suscita o seguinte: aquela linha descendente do Arco do Cego seguia direitinha para o Largo de Gomes Freire, mas não se vê linha ascendente vinda de lá…
 A fotografia seguinte enquadra já a linha da Pascoal de Melo tornejando para a Rua de D.ª Estefânia no sentido do Arco do Cego. Seria esta a linha ascendente, vinda da Almirante Reis por Santa Bárbara e pela Passos Manuel o, digamos, par da outra que descia pela Gomes Freire e São Lázaro até que se encontrassem na Rua da Palma?
 Se era assim, era um par de vias opostas muito desencontradas.
 Se foi realmente assim o caso como o ponho aqui, pouco depois, em 51, já o êle era como sempre conheci, com ambos os sentidos dos eléctricos de e para o Arco do Cego pela Pascoal de Melo, Passos Manuel e Santa Bárbara. 

Obra para colocação do Neptuno na Estefânia, Lisboa (J. Benoliel, 1950)
Obra de colocação da estátua de Neptuno, Estefânia, 2/IX/1950.
Judah Benoliel, in archivo photographico da C.M.L. 

*    *    *

 

Obra para colocação do Neptuno na Estefânia, Lisboa (J. Benoliel, 1950)
Largo de D.ª  Estefânia, Lisboa, [1951].
Firmino Marques da Costa, in archivo photographico da da C.M.L.

Escrito com Bic Laranja às 20:29
Verbete | comentar
6 comentários:
De [s.n.] a 19 de Junho de 2023
Que grande confusão, é caso para isso.
Nas fotos apresentadas desaparece a linha em direcção à Gomes Freire, mas há fotografias com as obras a decorrer por cima da linha com impossibilidade de passagem de eléctricos.
O trajecto dos eléctricos que apresenta é provável, por haver uma fotografia de 1951, da Rua Passos Manuel-Rua Pascoal de Melo com as obras da colocação de carris dos eléctricos vindos de Santa Bárbara que os doutro sentido passavam na José Estevão.
Se assim fora, desconhecia, totalmente, esse percurso tão afastado dos eléctricos do Arco Cego para a Baixa.
Ou pelo lado de Estefânia-Santa Bárbara-Anjos só funcionava antiga linha nos dois sentidos.
Cumpts.
De Bic Laranja a 20 de Junho de 2023
Há outra hipótese. A linha da Pascoal de Melo na 2.ª fotografia sêr a linha descendente do Arco de Cego, que entroncava na linha que corria ao longo da Rua de D.ª Estefânia e que se vê truncada na obra do Neptuno.
Parece a final o mais verosímil, consideranto a distância desses mesmos trilhos ao poste da via aérea listado na base que se vê adjacente ao tanque do Neptuno na 3.ª fotografia. Se reparamos bem nesta, os trilhos da via ascendente da Pascoal de Melo passam-lhe bem mais distantes do que se percebe na 2.ª fotografia.
Sobra que os trilhos do Largo da Estefânia à Gomes Freire parecem sêr via única, descendente, por (ou até) 1950, porém. Em 61 não era o caso. Nem ao depois, no tempo daquela árvore atrás do autocarro…
Cumpts.
De [s.n.] a 20 de Junho de 2023
Vendo a fotografia 'em 61', julgo tratar-se das linhas que viravam para a Conde Redondo e não seguiam para a D. Estefânia.
Para mim é mais confuso, ver noutras fotos a linha no sentido da Gomes Freire estar intransitável no meio das obras.
A colocação de carris na Passos Manuel-Pascoal de Melo em 1951, seria por haver via única pelo lado da José Estevão até a Sta.Bárbara, apanhando a antiga linha na Rua dos Anjos?
Desculpe estar a maçar com este assunto.
Cumpts.
De Bic Laranja a 20 de Junho de 2023
Vamos por partes.
A fotografia de 61 é no n.º 63, de ante a travessa de D.ª Estefânia, que sobe para o Bairro Catarino. Portanto é além do trôço que vira pela Joaquim Bonifácio e leva à do Conde de Redondo.
A José Estêvão com circulação de eléctricos era só do lado de cima do Jardim Constantino; logo desciam pela Rua do Mindelo à Passos Manuel cuja circulação de/para Santa Bárbara era nos dois sentidos.
Se a pavimentação da Passos Manuel tem que ver com assentamento de novas linhas de sentido descendente por causa daquilo que vimos na Estefânia em 50 é que importa descobrir.
De resto, dês dos alvores do bairro de Arroios que vimos os eléctricos trilharem da Paschoal de Mello para a Passos Manoel.
Cumpts.
De [s.n.] a 20 de Junho de 2023
Então, vendo os alvores de bairro de Arroios elimino a ideia da montagem de uma linha de eléctricos na Passos Manuel-Pascoal e Melo em 1951
Há mais fotografias das obras no Largo para o Neptuno e a tal linha que o atravessa já está sem actividade.
Seria uma linha de recolha na estação do Arco Cego?

Cumpts.

De Bic Laranja a 20 de Junho de 2023
Não conheço mais do que as de Benoliel no arquivo municipal. Haverá mais, de certo.
Aquela a linha era do eléctrico do Torel. Vinha de S. Sebastião. Seria o n.º 4 e extinto por 1920. Calhando disso haja ficado só uma via até 1950. Mas foi duplicada e as imagens de 61 e 67 mostram-no. Não me lembro de nenhum eléctrico por ela, todavia.
Cumpts.

Comentar

Julho 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Visitante



Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Firefox contra o Acordo Ortográfico
Fugas do meu tinteiro
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Kruzes Kanhoto
Lisboa
Lisboa Actual
Lisboa de Antigamente (pub)
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Meu Bazar de Ideias
Olhar o Tejo
Paixão por Lisboa
Perspectivas(pub)
Planeta dos Macacos (O)
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Julho 2024

Junho 2024

Maio 2024

Abril 2024

Março 2024

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Julho 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.