2 comentários:
De Figueiredo a 2 de Abril de 2023
Em alguns países da Europa estão a recuperar edifícios antigos ou históricos, inclusive a demolir os abortos arquitectónicos que foram construídos em certas situações no lugar de prédios/edifícios antigos que já existiam mas foram destruídos ao longo dos tempos em nome do pós-modernismo liberal e da cultura do cancelamento, de mau gosto, parolo, e aberrante.

Dois desses países são a Hungria e a Federação da Rússia (FR), este último, inclusive, para além de reconstruir ou restaurar edifícios antigos/históricos e Igrejas, tem a capacidade de não esquecer a sua História moderna e preserva também, nessa vertente, o que deve ser preservado.
De Bic Laranja a 2 de Abril de 2023
Começo a ler o que me diz e encho-me de esperança. Se as modas de lá fora são de endireitar o que deveio tôrto, de certo que o lugarejo aqui não tardará a copiá-las. Mas ao depois de sabê-las vir da Hungria e da Rússia, bem vejo: as modas que se colam cá não hão nunca de vir dali. Êsses exemplos são países. Países. Entes com brio nacional. Portugal como nação desfez-se há muito em entreguismo internacionalista, a.v.o. O brio minguou-se-lhe à mini da Sagres que patrocina a selecção cervejeira e os trabalhos reduziram-se ao posto de ordenança do (cá está) internacionalismo comandante.
Em todo caso, haja esperança!
Cumpts. :)

Comentar