5 comentários:
De Rúben B Oliveira a 20 de Agosto de 2015
Conhece esta imagem?
https://www.facebook.com/lisboadeantigamente/photos/p.1856585764566890/1856585764566890/?type=1&theater
De Bic Laranja a 20 de Agosto de 2015
Conheço. É a Vila Imagem, isto é, a casa da velha horta, ao depois quinta da Imagem.

A legenda que lá puseram no livro das fuças a acompanhá-la, descreve antes é a «casa de aspecto mesquinho» deste verbete. Mas esta pobre casa com o nicho das alminhas não lhes cativou a vista, de modo que, deram em brilhar com o casarão da quinta.

:)

Obrigado da remissão!
De Bic Laranja a 28 de Março de 2016
De da Maia a 21 de Agosto de 2015
Meu caro,
uma coisa é informar, outra coisa é vender informação.

Quem pretende informar não se arma em guia, simplesmente informa o que encontrou, como encontrou. E se dá a sua opinião é porque cuidou de pensar no assunto.

Quem quer vender informação, só cuida que passe por boa. Pouco interessa pensar mais no assunto informado, porque o assunto é a venda.
Para isso usa técnicas bem conhecidas dos feirantes, e que foram recauchutadas sob o epíteto de "marketing". Essas linhas que transcreve podem bem constar de uma típica contracapa... e têm tanto de inovador no discurso, quanto o da banca do feirante que nos convidava a conhecer a mulher barbuda.

Muito prezo quem dá o seu tempo a disponibilizar informação, e a torná-la acessível a todos, ao custo de um click.
Bem haja.
De Bic Laranja a 21 de Agosto de 2015
Preciosa reflexão sobre as mulheres barbudas em negócios de feira.
O clique aqui é ao preço do interesse ou da curiosidade do freguês e é também a forma de o menos maçar.
Obrigado!

Comentar