Terça-feira, 10 de Dezembro de 2019

Ou me engano…

 Ou o mamarracho com jeitos de clandestino empoleirado lá atrás é um devoluto que pegou fogo há dias dalguma sopa de cavalo. Conquistas da libardade anunciada nas paredes das casas velhas a par do caminho-de-ferro, decerto.


Passagem de nível da linha de cintura de Alcântara, Campolide (Guy, 1980)
Passagem de nível da linha de cintura de Alcântara, Campolide, 1980.
Guy, in Flickr.

Escrito com Bic Laranja às 19:54
Verbete | comentar
9 comentários:
De Mandarinia a 14 de Dezembro de 2019
Qual será a história desse prédio e do que está à esquerda dele na imagem (hoje está emparedado e terá provavelmente destino semelhante)? Aquela zona ainda é a Serafina? Quando se vai para a Ponte 25 de Abril e olhamos para a direita e toda essa zona parece bastante desconjuntada. Poderia o BIC Laranja lançar um pouco de luz nesta escuridão?

Cumprimentos
De Bic Laranja a 15 de Dezembro de 2019
Tinha uma ideia pré-concebida de que fosse edificação clandestina dos típicos dos bairros da Liberdade ou da Farternidade vulgarizados pelos anos 1974-75-…
Mas talvez não ou, talvez sim…

Pelo proc.º da obra 39 770 do archivo municipal, remonta a construção daquilo a 1962-64 (da sujeição do projecto ao alvará de utilização). Os índices do archivo dão entradas de 62 até 86 e depois acabam.
Mas a construção tem todo um arzinho de ser dos anos 70.
Talvez se tenha o mamarracho enxertado na casa primitiva de 1962-64.
Ou talvez se lhe tenha sobreposto liberal ou fraternalmente, como erva daninha, no tal tempo da democratização clandestina e selvagem…
Assim de repente é o que consigo dizer-lhe tirando ideias dos vagos índices do archivo municipal que se acham na rede.

A morada do mamarracho é Rua Inácio Pardelhas Sanchez, 140/140-B (antiga Rua A do Bairro da Liberdade). A outra casa que refere, entaipada, mais à esquerda é o 146. De permeio, dois lotes — 142 e 144 — já foram demolidos, mas viam-se lá na fotografia cá de baixo em 1980.

Talvez por pouco acaso, depois da publicação desta imagem do autocarro da Serafina (ou da Picheleira), uma certa «Lisboa de Antigamente» apareceu anteontem com esta…

A vista actual é…
Seguindo (o Guglo das ruas) para a dir. do chafariz dá-se logo com o desgraçado prédio e, continuando, outras construções ainda mais bizarras.

Adiante.
Ou melhor, recuando.

Dias antes a tal «Lisboa de Antigamente» saíra-se com estoutra das escadinhas da libardade como dizia o outro. Não sei se a «Liberdade» do bairro da dita, em Campolide, e das suas escadinhas e ruas ali, é dantes ou depois do grande acidente nacional. Não estudei agora a história do tal bairro, mas, pelo nome, e sobretudo pelo ar de certas opções urbanísticas naquelas ruas na encosta abaixo da Serafina, tudo lhe parece denunciar a época de (re)edificação e baptismo. O Bairro da Serafina, não. É do tempo do Estado Novo, isso é certo.

Como pode ver da segunda imagem da tal «Lisboa de Antigamente», em 1945 a encosta por ali acima a par das escadinhas era ainda um belo olival.

Melhor há cem anos: veja a encosta da estação ao aqueducto; o lugar, já nos confins da Quinta da Rabicha, que vinha da Estrada de Campolide até à Ribeira e que confrontava finalmente ali com a Quinta da Mineira de João José de Miranda e Emilia Adelaide d' Espie Miranda. Cuido que o troço da Rua Inácio Pardelhas Sanchez até à zona do chafariz e das escadinhas coincida pouco mais ou menos com os limites de confrontação das duas quintas, a meio daquela encosta.

Cumpts.
De [s.n.] a 16 de Dezembro de 2019
Lembro de ter lido (?) do Bairro ter aparecido durante a Grande Guerra e o republicano Carlos Rodrigues dos Santos, o 'Carlos da Parteira', ter sido o autor da denominação Bairro da Liberdade, sendo as primeiras crianças lá nascidas baptizadas de Libertino e Libertina.
De José Lima a 17 de Dezembro de 2019
Excelente explicação.
De Joe Bernard a 15 de Dezembro de 2019
E lembram-se, nestes autocarros, quando se entrava havia 2 bancos em frente um do outro?
Os chamados "bancos dos palermas"???
De Bic Laranja a 15 de Dezembro de 2019
É verdade.
Agora recompuseram o interior das carruagens do Metropolitano com bancos assim, de costas para as janelas, em todo o comprimento. Para caber mais sardinha.
Cumpts.
De Mandarinia a 17 de Dezembro de 2019
Caro Bic,

Agradeço as suas explicações. O seu conhecimento da nossa cidade impressiona.

Cumprimentos
De [s.n.] a 17 de Dezembro de 2019
Pois, pois… dê-lhe graxa.
Nem lhe comentou o '...Ponte 25 de Abril'

B.F.
De Bic Laranja a 20 de Dezembro de 2019
Mérito seu. O seu mote fez-ma conhecer melhor. O B.º da Liberdade é dos anos da I.ª República (pista acertada dum leitor anónimo que falou num certo Carlos da Parteira). Começou num loteamento clandestino duns espertalhões que desataram a vender lotes a gente pobre, quando os terrenos eram da Câmara. Quando deram por eles, já se tinham os burlões escapado para o Brasil com a massa toda. A Câmara ficou com um bairro consumado e os burlados com os lotes.

O mamarracho que ardeu é realmente dos anos 62-64; figura em imagens dos anos 60 no archivo photographico municipal.
A rua do mamarracho é mais alta do que me pareceia; vai no topo da quinta da Mineira e não na sua confrontação com a da Rabicha. Mas o bairro tomou-lhe os chãos a esta última, a par da linha férrea de Alcântara, nomeadamente no que veio a dar numa Vila Lopes e na Rua B.

Comentar

Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____