2 comentários:
De [s.n.] a 23 de Setembro de 2019
Pura Arte-Nova. Pena este estilo artístico ter durado cerca de treze anos apenas, dando origem quase imediata à Art-Déco, esta menos elegante e menos trabalhada. Aquela apareceu e desapareceu quase de repente. Durante este intervalo reduzido de tempo deu origem em vários países da Europa a uma quantidade incrível de lindíssimos exemplos desta Arte na pintura, escultura, arquitectura, em desenhos, etc.

França, designadamente Paris e sobretudo Nancy, cidade onde nasceu este movimento artístico, estão cheios desta Artee que são de uma beleza única. Portugal também os tem/tinha principalmente em Lisboa e por exemplo Aveiro, alguns poucos ainda restam. Infelizmente muitas moradias-Prémios Valmor e bastantes edifícios, todos eles Arte-Nova, designadamente na Av. da República foram criminosamente derrubados por obra e graça dos inúteis presidentes da Câmara de Lisboa que se foram revezando a partir do malfadado 25/4 até aos dias de hoje.
Maria
De Bic Laranja a 23 de Setembro de 2019
Os estilos de ornamento mais flamejante dão normalmente lugar a estilos mais despidos. Talvez cansem. Mas ninguém lhe tira a beleza.
Mas isto são ciclos, um vaivém que sempre torna.
Salvo se a estupidez, que é eterna, romper o ciclo, pela destruição e ao depois pelo vazio que lhe sucede.
Parece-me que foi o que sucedeu no séc. XX. Por isso temos o niilismo do séc. XXI.
Cumpts.

Comentar