Terça-feira, 26 de Maio de 2015

Panorama de Benfica a... Sintra

 Sobrevoando o lugar de Benfica pouco mais ou menos sôbre a quinta da Granja nos anos 50. O panorama que se avistava até à serra de Sintra era o que pode o leitor apreciar. Para quem, como eu, nunca conheceu esta païsagem e suspira por fazer idéia de como foram os lugares adjacentes à estrada e ao lugar de Benfica -- lugares que sempre conheci com païsagem tão densamente edificada -- respirar uma imagem destas é um refrigério.
 Algumas referências que vejo situam-me o espaço, outras suspendem-me no tempo: dou adiante algumas que identifico de cor; conto com o leitor interessado mais entendido nos pormenores antigos do lugar para que, com paciência ou generosidade, ajude no que faltar.

Vista aérea sobre Benfica, Lisboa (C.M.L./D.P.P., anos 50)
Vista aérea sobre Benfica, Lisboa, 195...
C.M.L./D.E.P., in archivo photographico da C.M.L.

 

 Partindo do quadrante inferior esquerdo, vae a estrada de Benfica em boa parte bem definida pelo casario de r/c, 1.º e 2.º que ainda hoje a conforma no trôço que leva da Fonte Nova às Portas e, para lá delas, à Porcalhota e à Amadora, já no quadrante superior direito da imagem. Do seu serpentear solta-se, primeiro, à esquerda a Gomes Pereira e a fábrica Simões e depois, à direita, a Calçada do Tojal, com a igreja da Benfica marcando bem o lugar de encontro dessa serventia com a estrada de Benfica. No lado oposto à igreja o antigo campo do Fòfó, cujo limite do lado de cá é bem marcado pelos muros da Azinhaga das Garridas, velha serventia de que sobra um trôço e que, por inteiro, nestes tempos de outrora, levava a gente bucòlicamente do coração de Benfica à Buraca cruzando a linha de Sintra numa passagem de nível de que nunca vi imagem, mas que sei que existiu, a par do Retiro do Bom Pastor.
 Adiante da igreja de Benfica o casario mais denso até às Portas -- que as não descortino --, apenas identifico por ali a longa fiada de casinhas baixas da quinta das Fontaínhas, de que sobra hoje uma fracção.
 Na banda esquerda da imagem as moradias do bairro das Garridas e o do bairro de Santa Cruz de Benfica em construção; entre êles a mancha arborizada da mata de Benfica. Além de Santa Cruz, campos, e o incipente casario da Damaia (ou de A-da-Maia) e da Damaia de cima, esta já para lá do aqueducto que corta, solitário, a païsagem para a direita; na Reboleira nada...
 Na banda superior direita da imagem, além das Portas e do bairro da Venda Nova, a Estrada de Sintra (E.N. 249) em direcção à Amadora -- que se nota bem urbanizada até ao que me parece o Casal de S. Brás -- e, após, apenas o casario a define (à estrada nacional) da direita para a esquerda da imagem, até se ela perder para lá duma fita que se ainda avista além de Queluz.
 A serra de Sintra com uma luz diáfana fecha o scenário bucólico dêste tempo suspenso.

Escrito com Bic Laranja às 00:10
Verbete | comentar
6 comentários:
De MCV a 26 de Maio de 2015
E vejo a minha rua lá bem ao fundo.
Fico assim a saber que a sua construção é anterior a muita coisa com o mesmo aspecto que por ali há.
Obrigado.
Abraço
Manuel
De Bic Laranja a 27 de Maio de 2015
Foi um prazer
Obrigado eu!
De JMN a 27 de Maio de 2015
Bela imagem!
Quanto às Portas, penso que ainda é possível ver pelo menos o topo da porta Sul, pouco antes de uma fiada de casas térreas (perto de uma zona com aspecto industrial) que, de acordo com as fotografias aéreas disponibilizadas pelos mapas "Bing", ainda lá se mantêm.
Por outro lado, será que, ao centro da fotografia, pouco acima dos arcos do aqueduto, se vê o que o quartel actualmente ocupado pelos Comandos e que, tanto consegui apurar, foi construído nos anos 50 para albergar o Regimento de Infantaria n.º 1?
Cumprimentos,
JMN
De Bic Laranja a 27 de Maio de 2015
É verdade. Vê-se lá o castelinho, vê.
As instalações militares na Amadora tiveram aeronáutica pelos anos 20 e 30. Depois não sei. Lá onde as refere são mesmo elas, possìvelmente já com o R.I. n.º 1.
Grato da informação.
De javal a 14 de Agosto de 2016
Bom, as Garridas não eram azinhaga, nem tinham bairro. Eram estrada, tal como ainda consta no bocadinho sobrante que refere. Tinham apenas uma dúzia de casas uni-familiares, do lado esquerdo de quem subia para a Buraca, direito à passagem de nível que bem refere e um casarão de primeiro ou segundo andar, que teria sido o edifício principal de uma quinta desaparecida, com um pátio interior e várias edificações mais pequenas, todas elas habitadas. O lado direito, foi quinta murada até à construção de Santa Cruz.
Antes da Calçada do Tojal, isto do lado direito da Estrada de Benfica, divisa-se a Rua dos Arneiros, que até há pouco tinha, essa sim, sido travessa e a Rua Cláudio Nunes, que levava as gentes até à porta de cemitério.
Para lá da Calçada do Tojal e até à Estrada Militar, muito pouco haveria construído, por esse tempo.
É talvez importante sublinhar que, a grande quinta que se vê à direita em primeiro plano, a Quinta da Granja, ainda se mantém, embora amputada de uns bons bocados, mas com outros que a foto não abarca e que incluem todos os edifícios da quinta. Uma parte deles são hoje utilizados para turismo de habitação.
A quinta ainda se estende até quase à perpendicular da Gomes Pereira, em cujo cruzamento nasceu a Avenida do Uruguai.
Cumprimentos.
De Bic Laranja a 16 de Agosto de 2016
Muito obrigado de nós precisar melhor a fotografia. É preciosa a descrição da Estr. das Garridas, de que pouca ou nenhuma memória sobra. Há uma imagem que vi em tempos no archivo municipal referida vagamente a Benfica é que conjecturo ser da Estr. das Garridas. Deixe-me ver se a acho para tornar-lhe aqui com ela. Talvez a possa confirmar.
Cumpts.

Comentar

Novembro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
15
16
21
26
28
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____