2 comentários:
De [s.n.] a 26 de Dezembro de 2015
Vejo este homem e sinto cá uma vontade de o esganar (repetindo a apropriada e furiosa exclamação de uma antiga mulher a dias que eu cá tive, dizendo-me o que faria, caso o apanhasse de novo à sua frente, a um canalizador que lhe roubou a aliança enquanto lhe consertava o cano do lava-loiças) que só Deus sabe. Maldito homem que, para nosso tremendo azar e infelicidade perpétua, o destino fez com que nascesse em Portugal.
Maria


De Bic Laranja a 26 de Dezembro de 2015
Lá dizia Camões «também dos Portugueses, alguns traidores houve algumas vezes» (Lusíadas, IV, 33).
Cumpts.

Comentar