4 comentários:
De Luís a 1 de Agosto de 2015
Aqui em Cambridge contei a uns conhecidos o caso do acordo ortográfico.

Inicialmente pareceu-me que não perceberam. Ou melhor, não queriam acreditar. Uma conhecida formada em Direito perguntou-me se não seria uma estratégia de socialistas para estupidificar a população. Todos afirmaram que era inadmissível destruir deliberadamente a cultura de um país que teve tamanho Império...

Ao andar por esta cidade sinto que Portugal morreu. Vejo estes jardins, estas moradias bem cuidadas, o bom comportamento dos estudantes, a atitude de professores e investigadores. A organização, os valores, a confiança.

Não temos Rei. Essa Igreja não serve mais os nossos interesses. Tiraram-nos a bandeira. As instituição estão há muito destruídas. Reina a vigarice, o roubo, a cunha, a chico-espertice. Até a língua destruíram. Que resta? O mamarracho, a marquise, o eucaliptal. Gente mal educada, mas cheios de si próprios. Endividados mas arrogantes e invejosos.

Ainda existe Portugal?

De longe, vejo apenas um pedaço de terra que em nada se distingue de uma qualquer república da América Latina.
De Bic Laranja a 1 de Agosto de 2015
Portugal acabou há mais de 40 anos.
Cumpts.
De ICE a 4 de Agosto de 2015
Na realidade, acabou 40 anos antes desses 40 anos... Lamento os pós que lhe quiser pôr em cima, nada mudam ou mudarão.
De Bic Laranja a 4 de Agosto de 2015
Calhando nem nunca começou.Até desabrochar em cravos. Realmente...

Comentar