9 comentários:
De Joe Bernard a 23 de Setembro de 2018
Gosto do "nabo", que, como sabe, era o nome dado ao candeeiro de iluminção pública retratado!
De Bic Laranja a 26 de Setembro de 2018
Não havia quem lhe chamasse cebolas?
Cumpts.
De Mandarinia a 24 de Setembro de 2018
Castiça mesmo. Quase que se espera ouvir um "Ó Evaristo, tens cá disto?"

Pacata também; é impressão minha ou há um gato no meio da estrada a ver os homens a descarregar os pipo. Bela imagem!!
De Bic Laranja a 26 de Setembro de 2018
Ali há gato, pois...
O outro gato é saber a rua.
Cumpts.
De Cristina Ribeiro a 25 de Setembro de 2018
Ao ler textos assim, ao recordar ( com que saudade! ) coisas que vivi, digo-me muitas vezes que foram tempos muito bons, de privilégio...

Saudações
De Bic Laranja a 26 de Setembro de 2018
Há um senso e uma simplicidade na vida que vem destas coisas antigas! Agora parece tudo tão balofo de elaboração, rebuscado e plastificado. Uma desinspiração!...
Cumpts.
De Manuel Alves a 5 de Novembro de 2018
Bic Laranja

Muito obrigado pelo seu trabalho de divulgação das nossas coisas.
Esta fotografia, presumo que tenha sido tirada no início da Rua Barão de Sabrosa, na rampa que a liga à Rua Morais Soares.
De Bic🍊 a 11 de Novembro de 2018
Obrigado eu do seu apreço.

Também me ocorreu que fosse a Barão de Sabrosa logo abaixo do Max, mas aquela casa na esquina de cima com a Melo Gouveia não se identifica com o gailoeiro que lá esteve até há poucos anos, nem com as seguintes.
Um caso a ver.

Cumpts.
De Bic Laranja a 12 de Dezembro de 2018
Rua dos Açores. Logo abaixo do cruzamento com a R. da Ilha Terceira. O camião descarregava os pipos na taberna do n.º 24-26.
Cumpts.

Comentar