8 comentários:
De gato a 1 de Março de 2018
Nessa altura não havia a caca do IPMA. Havia um muito bom Instituto de Meteorologia.
Agora cada enxadada sua caca. O que eles/elas adoram são os avisos coloridos. Vê lá! Agasalha-te! O Ártico está mais quente 20 graus...
Eu andava abrigado pelas varandas e toldos. E todos sabíamos que de meados de Outubro até Maio chovia (era o L'Avril au Portugal). Já então havia alarves na Administração.
De Bic Laranja a 1 de Março de 2018
O Árctico.
Tem muita razão. Gente que nunca passou da adolescência tomou conta da administração pública e só sai bricandeira.
Uma civilização de jardim-infantil.
Cumpts.
De Mandarinia a 1 de Março de 2018
Que fotografia maravilhosa! A calçada, a estrada (em paralelos, os carros, o candeeiro. Perdoe-me a ignorância, mas que edifício é aquele? Vê-se uma senhora que parece estar a comprar algo... Esta Lisboa que eu mo e que nem sequer conheci.

Cumprimentos
De Bic Laranja a 1 de Março de 2018
O edifício é a Praça da Figueira.
:)Cumpts
De Valdemar Silva a 2 de Março de 2018
O amarelo já não está sozinho.
Talvez por ser o ano de 1945, Lisboa, como que isolada num dia chuvoso, cinzento e carrancudo, torna-se maravilhosa. Joshua Benoliel ou mesmo um poeta por encomenda, nunca se lembrariam deste donairoso deslumbramento sobrenatural.
Valdemar Silva
De Valdemar Silva a 4 de Março de 2018
Queria dizer Judah Benoliel.

Valdemar Silva
De Mandarinia a 4 de Março de 2018
Caro BIC,

Agradeço-lhe muito o esclarecimento. Todas estas fotografias de dias chuvosos são mesmo lindas. O fotografo também devia gostar uma vez que suportou a chuva para as poder tirar.
De Bic Laranja a 4 de Março de 2018
São de Novembro de 1945. Houve umas chuvadas que deram inundações. O fotógrafo documentou-no-las assim como vê. Há umas muito curiosas no archivo photographico câmara. Procure «inundações».
Cumpts.

Comentar