4 comentários:
De Inspector Jaap a 18 de Novembro de 2015
Mas de que se admira???
Alguns contributos para esse tipo de anedotário:
La puce se niche à l’ombre du chien – a pulga aninha-se no ombro do cão…
Nos meus tempos de Liceu, o meu professor de Francês, quando um aluno, certa vez , traduziu “la parole” por “a parola” , chasqueou:
- O Francês é a língua muito simples de aprender; “bacalhau com batatas”? Ora, nada mais simples: “bacalhé avec vatates”.

Se este “tradutor” tivesse tido com ancestral esse meu colega, não me admiraria nada.
Cumpts
P.S. Não se surpreenda se um destes dias ouvir a notícia de que estão a chover cães e gatos em qualquer parte deste desgraçado rectângulo.
De Bic Laranja a 18 de Novembro de 2015
Não devia, pois! Ingenuidade...
Aprendo dos exemplos que traz, que pela dita ingenuidade não me haviam de ocorrer.
Cuido que estamos perante a espada da ignorância e a parede grossa da estupidez. Ou talvez entre um calhau é uma praça hárdua.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 18 de Novembro de 2015
Ainda:
Sim, são coitados e nem ideia fazem, pois que a sua meia dúzia de neurónios podem muito bem ter sido comprados nesse mercado, donde…
Cumpts
De Bic Laranja a 18 de Novembro de 2015

Comentar