2 comentários:
De [s.n.] a 7 de Janeiro de 2017
Até qu'enfim! Pensei que tinha fechado o blogo...

Pois é, agora vamos ter as carpideiras e os carpideiros a carpir por longo tempo. Pois claro, não hão-de eles carpir, devem a este mega traidor os tachos usurpados a milhares de trabalhadores leais, deixando-os no desemprego e os milhões de milhões roubados aos portugueses e metidos em contas off-shore durante os demasiados anos que levamos de regime ilegítimo. Sim disse ilegítimo, por mais que digam o contrário, porque jamais aquele foi sufragado pela totalidade da população ou esta ter-lhe-ía dado outro rumo bem diferente para o bem de Portugal e para a felicidade dos portugueses, sabe-se perfeitamente que todos os que o tentaram fazer acabaram mortos. Traidores e vendilhões de Pátria que, à custa de brutas mentiras, falsidades, difamações contra o anterior regime e seus governantes - estes, autênticos patriotas e defensores intransigentes do seu povo - tomaram criminosamente à sorrelfa, perante a ingenuidade total de um povo que vivia entre pessoas boas e crentes e incapazes de vilezas ou traições, dando por isso absoluto crédito desde a primeira hora a estes autênticos pulhas, as rédeas e o destino da Nação.

Todos os e as carpideiras que por aí se ouvem, ou andaram no colégio deste maldito, incluíndo centenas de jornalistas conhecidos e milhares de pobres diabos, ou são filhos e netos dos que por lá andaram ou são oportunistas do pior calibre, ou são lambe-botas, ou vira-casacas ou tudo isto em simultâneo, devendo-lhe obediência (or else) e eterno agradecimento, claro!..., pela vida de ricos e anafados que têm levado desde há quatro décadas e que hão-de levar - eles próprios, família e amigos e subsequentes gerações - até ao fim dos seus dias.

Oportunistas dum raio. Gente desnaturada, esta, que não merece a terra sagrada que pisa e em que, para eterna desgraça dos portugueses, lhes foi dado em malfadada hora nascer.
Maria
De Bic Laranja a 8 de Janeiro de 2017
Ainda há pedaço zurrava um locutor sobre «a maior figura do séc. XX em Portugal». É como diz o José na Porta da Loja: cada país tem os heróis que merece. Só não compreendo que diabo foi que Portugal fez para merecer este.
Enfim!

Comentar